1 Cultura Maker na escola e sua importância na educação | Educação Infantil e Ensino Fundamental Bilíngue em Osasco
  • Educação Infantil e Ensino Fundamental Bilíngue em Osasco
  • Ed. Infantil: (11) 3683-3785 I Ensino Fundamental: (11) 2925-6836
02/05/2022 06:15

Cultura Maker na escola e sua importância na educação

O que é cultura maker? Bem, se você já viu os famosos vídeos de “Faça Você Mesmo”, então conhece um pouco do que é a cultura maker. Ela se trata da ideia de que as pessoas, qualquer uma, podem construir, consertar e criar seus próprios objetos.

A cultura maker começou a surgir no final dos anos 60, mas absorveu o espírito punk dos 70 e foi influenciado pelos computadores nos 80. Foi em 2005 que se tornou um conceito mais difundido, tendo os seus pilares consolidados em 2006 no Maker Faire.

Hoje em dia, se fala da cultura maker na escola – afinal, como ela surge nesse cenário da educação infantil? Veja agora!
 

O que é a cultura maker?


“A cultura maker no Brasil é o resultado de anos de experiência da ideia em países estrangeiros.”

O que é a cultura maker? Ela se trata do conceito de usar a criatividade e os recursos disponíveis para criar objetos, produtos e soluções para os problemas cotidianos. Ela é associada comumente com o movimento Do It Yourself (DIY ou Faça Você Mesmo).

Ela tomou forma no final dos anos 60 e assimilou os conceitos do Punk Rock nos anos 70, como a ideia de independência individual. Nos anos 80, as atividades da cultura maker foram influenciadas pelos primeiros computadores domésticos.

Porém, foi em 2005 e 2006 que realmente se popularizou no mundo todo. A cultura estimula a busca por alternativas na construção de soluções e objetos, sendo definida por 4 eixos principais:
  • Criatividade;
  • Colaboratividade;
  • Sustentabilidade;
  • Escalabilidade, que é a ideia de que os objetos e soluções podem ser reproduzidos em larga escala, mas com baixo custo.
 

Como funciona a cultura maker no Brasil?


Na prática, a cultura maker no Brasil é uma ponte entre o conhecimento teórico e a solução prática. Ela não necessariamente envolve novas tecnologias[1] , pois se trata apenas do aluno buscar alternativas versáteis para resolver problemas reais.

Dessa forma, atividades extracurriculares envolvendo a culinária podem ser consideradas parte da cultura maker. O mesmo vale para a criação de maquetes, confecção de peças com barro ou a elaboração de jogos manuais.
 

Qual é a importância da cultura maker na educação infantil?


O modelo tradicional para a educação infantil tem se revelado uma tática desengajante para as crianças. A cultura maker na educação infantil surge como uma aliada, já que engaja elas através de um ambiente colaborativo de aprendizagem.

A sua ideia de Faça Você Mesmo é indissociável das metodologias ativas de ensino que têm sido aplicadas no processo de aprendizagem. A escola se torna para a criança um grande espaço de experimentação do conhecimento.

Enquanto isso, o professor vira um tutor e instigador do saber, o que dá mais poder aos alunos e os motiva mais a estudar.
 

Então, o que é a educação maker?


Tendo em mente o que significa cultura maker, a educação maker se trata de uma forma de ensino com abordagem colaborativa. Ela adota experiências práticas para os alunos encontrarem a resolução de problemas.

Basicamente, é a cultura maker nas escolas, que pode ser posta em prática numa sala de aula ou em laboratórios específicos para essa cultura. Nesses espaços, são os alunos que dirigem a ação, contando com uma grande variedade de materiais.

As crianças são estimuladas pelos professores a aprender e dividir o conhecimento com os seus pares. Inclusive, o professor apenas guia os alunos, não interferindo toda hora no processo de conhecimento deles.
 

Como aplicar a cultura maker na educação infantil?


A cultura maker não é apenas inserir novas tecnologias na escola – na verdade, o principal pilar dela é a capacitação e formação dos professores. A decisão de adotar essa metodologia ativa de ensino envolve muito treinamento do corpo docente.

Após a capacitação e a formação, a próxima preocupação é a escolhas dos métodos que serão utilizados na cultura maker. Isso vai definir quais serão os recursos financeiros, espaciais, pessoais e físicos disponíveis para ela.

Definidos esses dois detalhes, só vai faltar introduzir as crianças nessa nova cultura.
 

Quais são as principais atividades da cultura maker na escola?


Alguns exemplos de atividades da cultura maker são:
  • Criação de produtos ecológicos;
  • Prototipagem;
  • Marcenaria;
  • Culinária;
  • Entre outras.
 

A cultura maker já faz parte da sua escola?


Hoje em dia, a cultura maker é considerada um diferencial competitivo para qualquer instituição de ensino. A escola que apresenta ela forma alunos com maior sucesso, já que eles são mais engajados dentro dessa cultura.

A cultura maker é uma metodologia moderna, o que a torna ideal para essa nova geração de crianças. Se busca uma formação de qualidade para o seu filho, busque uma escola que apresente essa cultura!
 
Comente esta publicação!

Nome:
E-mail:
Comentário:
Digite os caracteres abaixo:


X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok